A busca pela paz...


Quando entrarem numa casa, digam primeiro: Paz a esta casa. Se houver ali um homem de paz, a paz de vocês repousará sobre ele; se não, ela voltará para vocês.” Lucas 10:5-6

O discípulo de Jesus, tanto naqueles dias como hoje, precisa compreender – nós estamos trazendo muito mais do que uma saudação bonita. A paz da qual Jesus fala aqui não é apenas de um relacionamento tranquilo e amistoso entre homens. Trazemos a oferta de paz entre o Criador do universo, cujo Filho foi crucificado, e cada ser humano responsável pela morte dEle. Os homens e mulheres “de paz” que nós buscamos são pessoas que reconhecem o que está sendo oferecido e aceitam a paz e reconciliação que Deus oferece. Jesus quis trazer paz a Jerusalém e chorou ao ver que sua oferta fora rejeitada, sabendo o que isso implicaria para aquela cidade (Lc 19:41-42). Da mesma forma, o discípulo, cujo convite é desprezado ou rejeitado sabe que não é só ele que está sendo rejeitado, mas, a oferta de perdão e salvação da parte de Deus. É por isso que é necessário que oremos mesmo pelas pessoas a quem levamos essa oferta de paz. Que elas possam estar prontas quando chegar a sua hora.

ORAÇÃO:

Gracioso e benigno Deus, prepare os corações daqueles a quem levamos a oferta de paz. Dê-nos as palavras para persuadir aqueles a quem chamaremos. Que tenhamos a devida urgência de não desistir ou recuar, mas de chamar a todos ao nosso redor para seguirem Jesus como Senhor e Salvador. Em nome do Rei oramos. Amém.

Momentos de angustia? Entregue a Deus...


“Invoca-me no dia da angústia, eu te livrarei e tu me glorificarás” (Salmo 50.15)


Muitas pessoas vivem angustiadas e não procuram a solução correta: buscar no Senhor a solução para os seus dilemas. A promessa de Deus é que livrará todos os que a Ele se achegarem, para a glória do Seu nome.

Paz? Em Cristo JESUS...


“Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo” (Romanos 5.1)


Ser justificado é tornar-se justo diante de Deus, através do sacrifício de Jesus, na cruz do calvário. Depois de tornados justos, precisamos ser sal e luz deste mundo tenebroso. O servo de Deus dá-se a si mesmo, voluntariamente, para agradar ao seu Senhor e também ao seu próximo. Para ser sal da terra e luz do mundo é preciso exercitar e controlar os impulsos, segundo a vontade de Deus. Somos livres, e como livres, não podemos procurar apenas os nossos interesses pessoais, mas, sobretudo, agradar ao nosso Senhor e aos que estão à nossa volta que precisam de ajuda. Estejam, pois, longe de nós a amargura, a falta de controle emocional, o ódio, a ansiedade, a falta de misericórdia, a falta de perdão, a avareza, a discórdia e todas as coisas prejudiciais ao nosso bom desempenho como filhos do Deus Altíssimo e salvos por Jesus Cristo, o nosso SENHOR.

Vamos orar?


“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á”. (Mateus 7.7).


Jesus ensina a necessidade da oração, sem a qual não alcançaremos nossas necessidades espirituais. É bom saber que o Senhor ouve e atende aquele que, com humildade e sinceridade de coração, pede o que precisa, não o que gostaria de ter para o seu próprio deleite. Deus nos concede o ministério da oração para que saibamos entender a Sua vontade para a nossa vida e para a igreja. O cristão que se dedica à oração, bem como a igreja que incentiva a prática da oração na vida de seus membros, consegue orar e expressar a vontade de Deus para a humanidade. O mais elevado propósito da oração é permitir que a vontade de Deus seja realizada. O nosso propósito deve ser, então, buscar através da oração, uma perfeita comunhão com o Senhor Jesus Cristo, autor e consumador de nossa fé.

Fortaleza em Deus!



“Deus é a minha fortaleza e a minha força, e ele perfeitamente desembaraça o meu caminho”
(II Samuel 22.33)


Deus nos direciona pelo caminho da perfeição. Ele é a nossa defesa contra as astutas ciladas do maligno. É um rochedo e transmite segurança contra as intempéries da vida. É a nossa fortaleza que garante certeza de vitória sobre o inimigo da alma. Não há nada que Deus não possa consertar. Para os que confiam no Senhor há recompensa, mas para que isto aconteça é preciso buscar viver em pureza de coração, em contínua vigilância e guardar-se de todo e qualquer pecado. Somente em Deus temos a perfeita segurança.